FECHAR
Popup
 
 
 
As 4 dimensões do dízimo

Caritativa: Essa dimensão do dízimo leva os dizimistas a fazer o que Jesus fez: olhar com amor e colocar-se a serviço dos pobres. A comunidade dizimista, pela assistência e pela promoção, serve o pobre gratuitamente. Pela assistência atende-se àquelas necessidades urgentes, que não podem ser deixadas para amanhã, como alimento, roupa, remédio...Pela promoção investe-se na formação e capacitação, dando às pessoas condições de terem uma forma de sustento e/ou uma profissão.
Religiosa: Essa dimensão do dízimo leva os dizimistas a fazer o que Jesus fez: olhar com amor e colocar-se a serviço dos pobres. A comunidade dizimista, pela assistência e pela promoção, serve o pobre gratuitamente. Pela assistência atende-se àquelas necessidades urgentes, que não podem ser deixadas para amanhã, como alimento, roupa, remédio...Pela promoção investe-se na formação e capacitação, dando às pessoas condições de terem uma forma de sustento e/ou uma profissão.
Ao partilhar o dízimo, “dizemos” a Deus que temos consciência de nossa plena e total pertença a Ele. O que partilhamos é um sinal do nosso amor. É nisso que consiste a espiritualidade do dízimo: ele amadurece e aumenta a nossa comunhão com Deus, já que vivemos conscientes de que a nossa segurança está Nele, e não nos bens que possuímos.
Eclesial: Essa dimensão do dízimo leva os dizimistas a fazer o que Jesus fez: olhar com amor e colocar-se a serviço dos pobres. A comunidade dizimista, pela assistência e pela promoção, serve o pobre gratuitamente. Pela assistência atende-se àquelas necessidades urgentes, que não podem ser deixadas para amanhã, como alimento, roupa, remédio...Pela promoção investe-se na formação e capacitação, dando às pessoas condições de terem uma forma de sustento e/ou uma profissão.
Ao partilhar o dízimo, “dizemos” a Deus que temos consciência de nossa plena e total pertença a Ele. O que partilhamos é um sinal do nosso amor. É nisso que consiste a espiritualidade do dízimo: ele amadurece e aumenta a nossa comunhão com Deus, já que vivemos conscientes de que a nossa segurança está Nele, e não nos bens que possuímos.
Como todo batizado e exercendo o protagonismo dessa Igreja, cabe a nós contribuir para que a missão deixada por Jesus se cumpra. Assim, somos nós, padres, religiosos(as), leigos e leigas, que fazemos com que a comunidade tenha o suficiente para se sustentar. Cabe aos membros de cada comunidade sustentá-la, exercendo assim a espiritualidade do dízimo.
Missionária:
Essa dimensão do dízimo leva os dizimistas a fazer o que Jesus fez: olhar com amor e colocar-se a serviço dos pobres. A comunidade dizimista, pela assistência e pela promoção, serve o pobre gratuitamente. Pela assistência atende-se àquelas necessidades urgentes, que não podem ser deixadas para amanhã, como alimento, roupa, remédio...Pela promoção investe-se na formação e capacitação, dando às pessoas condições de terem uma forma de sustento e/ou uma profissão.
Ao partilhar o dízimo, “dizemos” a Deus que temos consciência de nossa plena e total pertença a Ele. O que partilhamos é um sinal do nosso amor. É nisso que consiste a espiritualidade do dízimo: ele amadurece e aumenta a nossa comunhão com Deus, já que vivemos conscientes de que a nossa segurança está Nele, e não nos bens que possuímos.
Como todo batizado e exercendo o protagonismo dessa Igreja, cabe a nós contribuir para que a missão deixada por Jesus se cumpra. Assim, somos nós, padres, religiosos(as), leigos e leigas, que fazemos com que a comunidade tenha o suficiente para se sustentar. Cabe aos membros de cada comunidade sustentá-la, exercendo assim a espiritualidade do dízimo.
Ao acolher o mandato de Jesus de levar o Evangelho a todas as pessoas (MT 28,19), entendemos que sendo cristãos, somos missionários(as). Não podemos ficar fechados em nossas comunidades. Devemos sair para ir ao encontro de quem não participa e de quem ainda não conhece Jesus. Parte do seu dízimo é investido nas missões, tanto aquelas a serem realizadas na própria comunidade, como aquelas a serem efetivadas com outros povos. 
Fonte Diocese de Caxias do Sul


 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas