Igreja Nossa Sra. de Lourdes - Matriz
 

Nossa Senhora de Lourdes – Matriz
 
HORÁRIOS DE MISSAS:
Segunda a sexta-feira – 12h e 18h30min
Sábados – 17h
Domingos – 8h, 10h e 18h30min
Dia 11 de cada mês (dia votivo da padroeira) – 15h (missa com bênção da água e da saúde)
Cemitério de Lourdes – 1ª segunda-feira do mês, às 15h30min

Situada na rua Angelina Michielon, no coração do bairro que tem o mesmo nome, a paróquia de Nossa Senhora de Lourdes é a segunda mais antiga da cidade, uma vez que se desmembrou da paróquia Santa Teresa, Catedral Diocesana, em 8 de fevereiro de 1942. Até então, o centro das atividades religiosas católicas convergia para a Catedral, junto à atual praça Dante Alighieri.
A inauguração da nova paróquia, por decreto do então bispo diocesano Dom José Barea, ocorreu no mesmo momento que entrava para a história da paróquia o padre Maximiliano Franzoi, indicado como seu primeiro pároco. 
Sendo recém a segunda paróquia a ser criada em Caxias, após a instalação da paróquia relativa à Catedral Diocesana – que até então respondia por todo o município – a sua abrangência estendia-se por uma vasta área da cidade, ainda parcialmente urbanizada. Foi um período marcado por intensa atividade na área de urbanismo e construção civil no centro da cidade e em seus arredores mais próximos, e a nova paróquia acompanhou de perto os trabalhos de pavimentação das principais ruas e avenidas, bem como a construção do Monumento ao Imigrante. A cara da cidade se transformava, e o número de fiéis crescia de acordo com o ritmo do desenvolvimento. 
Tanto foi assim que, passadas algumas décadas, novas paróquias foram desmembradas de Lourdes, para atender mais de perto às demandas das comunidades que cresciam e se organizavam. Em 1959, da paróquia de Lourdes foram criadas as paróquias da Sagrada Família e do Sagrado Coração de Jesus. No ano de 1964, surgiu a paróquia de São Vicente. Em 1973, deu origem à paróquia dos Santos Apóstolos e, no ano seguinte, à de São Ciro. Um salão de esportes foi construído em anexo ao prédio da igreja, no ano de 1976 e, em 1985, inaugurou-se a nova casa paroquial. 

Características do Templo 
As obras do prédio da igreja tiveram início ainda antes do estabelecimento da paróquia em 1942, porém, a data exata não ficou registrada. O terreno foi doado por Luiz Michielon e a supervisão inicial dos trabalhos ficou a cargo do padre Ernesto Mânica, que depois passou a responsabilidade ao primeiro pároco, o padre Maximiliano Franzoi. Depois de erguido, em 1944 tiveram início as obras no interior do prédio da igreja, concluídas em 13 de junho de 1948, com a inauguração do púlpito. Em 1949 iniciou-se a construção das torres, cuja conclusão deu-se em 1951. Dois anos depois, já era inaugurado o altar-mor do templo. 
O prédio da igreja foi construído em estilo modernista, resguardando acentuados traços românticos. Os arcos concêntricos da fachada são revestidos em mármore e, ao alto, seis janelas adornam o visual frontal do templo. Duas torres com sino estão dispostas uma em cada lado da igreja, com janelas em arco. Uma cruz encima o topo da igreja. 
Internamente há um pequeno átrio na entrada que, passando pelo coro, conduz até a nave central, que é ladeada por duas naves menores, das quais surgem vitrais com imagens de santos. Ao longo das paredes há uma Via Sacra de autoria de Estácio Zambelli. Ao fundo de cada nave lateral há dois altares trabalhados em estilo neogótico por Alexandre Bertelli. Neles estão dispostas várias imagens de santos, bem como, uma representação da Virgem Maria ainda bebê, conhecida entre os descendentes de italianos como “Maria Bambina”.
Abóbadas de aresta compõem o teto, decoradas com pinturas em motivos florais com medalhões para imagens dos Doze Apóstolos. O piso é composto por ladrilhos com padrões geométricos. A abside da igreja é ornada com uma pintura da Ascenção de Cristo. Em um nicho elevado do retábulo central (Altar-mor) localiza-se a estátua da padroeira, Nossa Senhora de Lourdes, com uma coroa confeccionada pela Metalúrgica Abramo Eberle. A igreja conta ainda com dois confessionários em madeira e uma pia batismal esculpida em granito maciço e coberta por uma artística cúpula de madeira entalhada. O púlpito é de autoria de José Gollo.
*Baseado em texto de Marcos Fernando Kirst